ARTIGOS

Conflitos em Condomínios


Hoje em dia viver em comunidade é dividir algo em comum, o mesmo espaço (físico), com regras, valores e identidade. E em um condomínio é um bom exemplo de uma comunidade, onde estão inseridos os mais diferentes perfis. Pessoas com histórias de vida, necessidades, valores, rotinas, estilos de vida, cultura, costumes, todos diferentes.


Moradores que possuem uma coisa em comum: escolheram o mesmo lugar para morar e vivem sob o mesmo teto e ainda dividem as despesas. Muitas vezes esta convivência não é a mais harmoniosa possível, pois exige algumas habilidades e capacidades como: Consciência, Empatia e Tolerância, que nem sempre percebemos no dia a dia das pessoas, podendo muitas vezes tornar-se insustentável a convivência. Quando estas capacidades não são exercidas na coletividade, surgem os conflitos.


O papel do síndico, como gestor desta comunidade, é antecipar, prevenir, flexibilizar e focar na solução dos problemas/conflitos, mantendo a convivência mais saudável possível para todos.


Segundo Edilson Dantas, os principais temas de conflitos em condomínios são: cachorros, crianças, calote, cano, carro, acessibilidade, barulho, drogas e cigarro, comércio e sustentabilidade. Para lidar com esses assuntos é necessário que o síndico tenha consciência do que pode fazer para amenizar o conflito, empatia de se colocar no lugar dos condôminos e tolerância para entender as diferenças entre os posicionamentos.


Afinal, as diferenças devem ser aceitas, já que são naturais.



Edilson Dantas

Administrador de Empresas, atuando no mercado condominial condominial há mais de 10 anos