ARTIGOS

Engenharia Condominial


As edificações, sob a responsabilidade do síndico, exigem conhecimento técnico específico, que englobam diferentes áreas da engenharia. E, igualmente, conhecimentos da aplicação das áreas tecnológicas. Exemplo disso são alarmes, circuitos fechados de tevê, fechaduras computadorizadas, biometeria e etc.. A administração de um edifício se torna mais complexa, também, diante das crescentes exigências e da fiscalização rigorosa, e necessária, de órgãos de controle, como o Corpo de Bombeiros, Defesa Civil, prefeituras, e/ou conselhos regionais de engenharia e arquitetura.


Apesar disso, não raramente, tragédias ocorrem nos prédios brasileiros. São incêndios, explosões, desmoronamentos e por aí vai. Para evitar que se repitam, os poderes públicos de diferentes cidades criaram legislação que determina minuciosas e periódicas inspeções técnicas nas edificações. Isso leva os administradores prediais a gerir eventuais reformas nas áreas comuns e até mesmo nas unidades autônomas.


Tendo em vista a segurança das edificações, e para se fazer cumprir as normas técnicas e legais, tornou-se imprescindível para o Síndico planejar e realizar os procedimentos previstos na NBR 16280, sempre que houver a realização de reformas no condomínio. A publicação da norma tornou ainda mais necessária a contratação de uma consultoria especializada de engenharia que possa atender aos responsáveis legais pelos imóveis, assim como prover ao condomínio orientação, planejamento, acompanhamento técnico e demais registros necessários, de forma a evitar problemas tanto na área administrativa quando física, da edificação.



Mario Galvão

Engenheiro especialista em normas e laudos condominiais de Brasília